Comprei seguidores e olha no que deu!

Você empreendedor que mantém alguma Mídia Social de seu negócio já deve ter visto diversas ofertas de venda de seguidores ou curtidas, ou até comprado algum plano desse tipo. Posso te pedir um favor? Repita comigo em voz alta: nunca comprarei/nunca mais comprarei seguidores!

Agora, vamos respirar fundo e seguir essa nossa conversa!

Vaidade. Tudo é Vaidade!

Um certo dia fui analisar alguns Influenciadores Digitais no Instagram que atuam na área da gastronomia para um cliente específico. Estudei uns cinco ou seis. Alguns mais “famosinhos” outros menos conhecidos, mas todos com número considerável de seguidores.

Ao analisar o engajamento daqueles Perfis, percebi que alguns deles apresentavam números inconsistentes. Por exemplo, 10, 15 mil seguidores e 50, 100 curtidas em posts comuns de dia-a-dia. Em alguns posts patrocinados (#ad), “do nada” tinha 500, 1000 curtidas. Opa! Essa conta aí não fecha!

O primeiro motivo é que o algoritmo do Instagram prioriza mais conteúdo “Lifestyle” (vamos falar mais disso em outra oportunidade) do que postagem de “fulana” comendo em determinado local. O segundo motivo dessa conta não fechar é a discrepância absurda entre o número de interações nas postagens.

Cerca de 2 meses depois, essa conta perdeu inúmeros seguidores “fakes” por mudanças na plataforma (algumas contas foram até banidas por uso de automações não permitidas).

Aqueles números inflacionados nada mais passava de desonestidade, pois utilizava-se de números fakes para fechar contratos de permutas ou patrocínio de posts.

Em muitos casos, empreendedores compram seguidores para passar uma métrica (igualmente falsa) de prova-social aos seus clientes (caramba, eles são bons, tem 10 mil seguidores!). Mas essa prática só suja sua lista e dificulta sua venda, afinal como você irá se relacionar com inúmeros perfis que não são reais? E quanto mais trabalho vai dar para você atingir pessoas reais para sua conta?

Ah! Mas, porque não comprar?

Nossa postagem inicialmente atinge cerca de 5 a 10% da nossa base. Imaginamos que temos 200 seguidores reais, em média nosso conteúdo vai alcançar 10 a 20 seguidores. No momento que compramos seguidores e atingimos, por exemplo, 1000 seguidores (os mesmos 200 reais e 800 fakes), nossa postagem vai alcançar entre 50 e 100 seguidores. Contudo, com 80% do público formado por seguidores falsos. Assim, menos pessoas irão interagir com a marca e menor será o engajamento.

O resultado dessa conta é que o Algoritmo entenderá que seu conteúdo não é tão bom assim e, consequentemente, menos pessoas irão receber o que você posta e conhecerão menos sua marca ou seu negócio. Ou seja, o tiro sai pela culatra!

Comprei seguidores, e agora?

Mas o que fazer quando já cometi esse pecado? Separamos, então, 3 dicas fundamentais para você:

  1. Tente limpar a sua lista de seguidores, excluindo os “fakes” com Apps especializados (Cleaner, por exemplo);
  2. Passe a produzir conteúdo relevante, principalmente voltado à engajamento. Demorará um tempo para recuperar esse Perfil, mas dá certo;
  3. Invista em Anúncios para atrair novos (e reais) seguidores.
funil do growth hacking

Growth Hacking: Como Fazer Um Crescimento Exponencial?

Growth Hacking. Muito provavelmente você já ouviu falar nesse termo que tem sido muito frequente ultimamente no Brasil.

Talvez seja até irritante para você de tanto que você já ouviu falar. Ou caso você nunca tenha ouvido falar em Growth Hacking, pode parecer um termo confuso.

Em curtas palavras, o Growth Hacking é a capacidade de descobrir como gerar uma expansão exponencial e acelerada. Isso de forma sustentável e com a avaliação apurada de métricas.

E querendo ou não, se você quiser competir de verdade e sobreviver no mercado, você precisará aprender Growth Hacking. Afinal, isso já está acontecendo.

É por isso que neste artigo você aprenderá a aplicar o Growth Hacking para o seu negócio. Seja dentro ou fora da internet.

Contudo, utilizando a tecnologia ao seu favor, você poderá produzir esse efeito de forma viral, em larga escala.

Veja o que você irá aprender neste artigo:

1 – Onde surgiu o termo Growth Hacking?

2 – O que é Growth Hacking?

3 – Growth Hacker: o profissional que aplica o Growth Hacking

3.1 – Técnicas aplicadas na implementação do Growth Hacking

4 – AARRR: conheça o funil do Growth Hacking

5 – Mitos e verdades sobre o Growth Hacking

6 – Checklist antes de iniciar o processo de Growth Hacking

7 – Fatos sobre o Growth Hacking dignos de compartilhar no Twitter

Onde surgiu o termo Growth Hacking?

Sean Ellis disse:

O growth hacker é o profissional que tem como foco o crescimento baseado em métricas. O posicionamento é importante? Apenas se comprovado que pode ser utilizado em um plano de crescimento sustentável.

definição gráfica de growth hacking

E por mais que ele tenha dito isso, foi Andrew Chen quem popularizou o termo. Ele o fez após analisar como a Airbnb cresceu. Basicamente essa empresa ofereceu uma integração para publicar seus anúncios na Craigslist. Um site na internet para anunciar os mais variados tipos de serviços e produtos. E na época, contava com aproximadamente 10 milhões de usuários. Simples, porém muito eficaz.

Não foi só a Airbnb que teve um crescimento altamente explosivo. Mas você provavelmente deve ter conta no Facebook, não é verdade? Ou, quem sabe, muito provavelmente já chegou a pedir um Uber (ou pelo menos já ouviu falar rs).

Veja só o crescimento do Facebook em quantidade de usuários abaixo, após ter aplicado o Growth Hacking:

gráfico de crescimento do facebook em número de usuários

 

Talvez você prefira ver o gráfico da quantidade de motoristas parceiros do Uber nos Estados Unidos:

gráfico de crescimento do uber em quantidade de motoristas parceiros

 

Veja que são gráficos explicitamente exponenciais.

O Growth Hacking está explodindo nos Estados Unidos, apesar de termos pouca consciência deste conceito… Porém, no Brasil, é uma técnica na qual você pode se aprimorar o quanto antes e aplicar em seu negócio.

Quanto mais cedo você fizer isso, melhor. Pois como é uma técnica baseada em testes e métricas, você irá investir tempo nisso. Tanto para realizar os testes, quanto para manter um track record, que é o histórico, dos seus resultados.

Por tanto, se você quiser tirar vantagem real do mercado e ter um negócio bem sucedido, considere estudar o assunto. A recompensa que você possui de um negócio, deve ser sempre igual ou maior que o esforço que você impõe. No caso do Growth Hacking, é exponencial.

O que é Growth Hacking?

Eu já falo sobre o assunto completo, passo a passo, de como fazer no meu ebook gratuito sobre Growth Hacking. No ebook você irá aprender de forma mais detalhada como metrificar e avaliar seus resultados. Além de saber as métricas que precisa avaliar para aplicar as estratégias necessárias para o crescimento do seu negócio. Tudo de forma precisa e efetiva.

De acordo com Sean Ellis:

Growth Hacking é marketing orientado a experimentos.

Ou seja, através de implementação orientada à teste, buscar uma forma de prover crescimento. E para explicar melhor isso, vamos explorar o significado de Growth Hacking abaixo…

  • Growth é a palavra em inglês que significa “crescimento”.
  • Hack, em inglês, significa “brecha” ou “espaço”.
  • Hacking é o ato de encontrar essas “brechas” ou “espaços”.

Sean Ellis criou essa frase há 7 anos, em 2010. Neste ano, Ellis tentava criar uma nova descrição de trabalho. Ele é, originalmente, o verdadeiro growth hacker.

Ele ajudou vários negócios em patamar de startup a alcançarem esse crescimento exponencial acelerado como consultor.

A Dropbox, por exemplo, é uma das empresas em nível de startup entre as quais Sean realizou seu trabalho.

Nos últimos anos, várias startups de diferentes segmentos tem surgido. E como essas empresas estão em período de nascimento, precisam de criatividade para crescer. Pensar em formas cada vez mais criativas e que promovem cada vez mais engajamento para se expandirem. O que faz com que a presença e o trabalho dos growth hackers sejam cada vez mais necessários.

Growth Hacker: o profissional que aplica o Growth Hacking

Quando Sean Ellis trabalhava no desenvolvimento de uma startup, eventualmente, ela atingia o crescimento esperado. Com isso, Sean, eventualmente, precisava deixar a startup para iniciar um novo trabalho.

Porém, era muito difícil encontrar um substituto para que desse continuidade ao trabalho que havia sido feito. Alguém que pudesse estar de frente, responsável pelo crescimento contínuo da startup.

Ele analisou milhares de propostas, literalmente! Todas dando ênfase para um trabalho profissional de marketing. Contudo, profissionais de marketing “não podem” realizar esse tipo de trabalho.

Isso porque tudo o que existe e que é novo, é bem diferente do que existiu em um tempo passado. Seja a forma de aplicação de um método ou até mesmo as ferramentas utilizadas para isso.

O problema é que os profissionais de marketing acreditavam que precisavam considerar orçamento, despesa, conversão etc…

Um growth hacker não tem seu foco nessas coisas. Por isso, o que Sean Ellis procurava era basicamente “uma pessoa cujo norte verdadeiro fosse o crescimento”. Dito por suas próprias palavras.

Por isso, a questão não é ser ou não ser um profissional de marketing. Tanto um engenheiro quanto um profissional do marketing podem ser growth hackers. O que vai definir se este é o tipo de atuação deles é seu foco.

Abaixo você verá algumas…

Técnicas aplicadas na implementação do Growth Hacking

Existem diversas técnicas nas quais você pode implementar e testar para promover o crescimento exponencial acelerado de forma sustentável. Tudo, obviamente, vai depender das brechas de oportunidade existentes em seu negócio para a aplicação dessas técnicas.

E é claro, tudo vai depender da forma como você irá implementar a técnica e as métricas que irá avaliar. Não basta apenas pegar uma determinada técnica e aplicar como uma receita de bolo. Você deve avaliar o comportamento do seu público e implementar formas que irão fazer seu negócio crescer.

Seja em tráfego no seu site, seja em faturamento, seja no alcance e relevância da sua marca… Ou até mesmo no crescimento da sua base de contatos. A sua lista.

Abaixo irei citar algumas dessas técnicas, vamos lá?

  1. Viralização de conteúdo gratuito por compartilhamento

    Atualmente, após o grande boom das redes sociais, ficou cada vez mais fácil o compartilhamento de informações. Sejam conteúdos ou ferramentas que seu público possa considerar como sendo de extrema utilidade. Esta técnica tem sido utilizada por dezenas de milhares de empreendedores no meio digital. O “pulo do gato” aqui se chama qualidade. Uma outra palavra para isso seria valor. Quanto maior o valor agregado ao seu conteúdo ou material gratuito, mais o seu público desejará mostrar para outra pessoa. Para pessoas que ele queira, de forma genuína, compartilhar tal material.

  2. User Generated Content

    Falando de redes sociais, o YouTube e o Instagram, por exemplo, executaram com excelência essa técnica. Esse novo termo que vem crescendo muito no mercado digital se baseia na seguinte situação… Fazer com que os usuários da sua ferramenta ou atuais fãs da sua marca possam criar materiais do seu nicho. Do seu segmento. Que possam ser conteúdo para que outros potenciais fãs possam consumir. E eventualmente, passar a criar o mesmo tipo de conteúdo para atrair novos fãs, e assim por diante.

  3. Programa de fidelidade

    Parece simples, mas você pode criar programas de fidelidade para gerar crescimento para seu negócio. A NuBank, uma fintech que ganhou grande popularidade e espaço no mercado brasileiro, aplicou esta técnica. Após ter uma base de centenas de milhares de usuários utilizando seu cartão, ela lança seu programa de fidelidade (finalmente). Programa esse chamado de Nubank Rewards. Eu mesmo utilizo esse programa para cancelar o custo das minhas viagens de Uber. Quantas pessoas você acha que eu já indiquei que aderissem ao NuBank somente por isso? Agora você entendeu porque é uma técnica que funciona!

Existem diversas técnicas nas quais você pode aplicar. Mas tudo vai depender do seu foco. Como já dito, o Growth Hacking é voltado para o crescimento. Vai além de atração, remarketing e o disparo de emails para sua lista.

No ebook gratuito que escrevi, falo de mais técnicas além dessas e de como você pode aplicar o Growth Hacking. E isso de forma totalmente efetiva e detalhada, específica para o seu negócio.

Todas essas técnicas de Growth Hacking são aplicadas a partir do ponto de vista do funil do pirata. Que inclusive é o próximo ponto abordado!

AARRR: conheça o funil do Growth Hacking

funil do growth hacking

O funil do Growth Hacking é basicamente composto de 5 etapas: atração, ativação, retenção, referência e receita.

E por que eu citei anteriormente que este é o funil do pirata? Porque as iniciais das etapas formam o som que um pirata faz: AARRR! Seu criador foi Dave McClure.

Esse funil pode ser completamente encaixado no seu negócio. Uma vez identificadas essas etapas no seu negócio, identificar a etapa com problema de crescimento é seu segundo passo.

E pode até haver mais de uma etapa com dificuldade de crescimento. Porém identifique aquela que é prioridade para que seu negócio possa crescer de forma sustentável. Afinal, o que ocorre no geral é que as ações do Growth Hacking são pensadas para otimizar uma das etapas. Otimizando apenas uma por vez, fica muito mais fácil de entender e mensurar os resultados.

Vamos conhecer o funil do pirata?

  1. Aquisição (Acquisition)

    Nesta etapa do funil, são pensadas estratégias e formas de atrair e conquistar clientes. Aqui, geralmente, são aplicadas técnicas para geração de tráfego qualificado.

  2. Ativação (Activation)

    Esta é a etapa onde o cliente tem sua primeira experiência com a marca. Por isso, é muito importante que você foque seus esforços em gerar a melhor primeira experiência que puder!

  3. Retenção (Retention)

    É nesta etapa que é realizada a retenção do seu cliente. Ou seja, o foco está em mantê-lo ativo para com a sua marca. Utilizando seus produtos ou serviços de forma contínua, recorrente.

  4. Referência (Referral)

    Aqui nesta etapa do funil do Growth Hacking os esforços são concentrados na expansão através dos clientes. Ou seja, são utilizadas técnicas para incentivar seus clientes a compartilharem e indicarem sua marca para outras pessoas. Normalmente, quando um excelente trabalho de ativação e retenção é realizado, seus clientes tenderão a recomendar sem que você peça.

  5. Receita (Revenue)

    Chegamos na etapa que faz o negócio se manter vivo. A receita é a etapa na qual o foco está direcionado em monetizar seus clientes. Fazê-los utilizar seus produtos ou serviços pagos ao invés dos gratuitos.

Apesar das etapas do funil do Growth Hacking estarem em ordem, você não precisa aplicar as estratégias na mesma ordem.

De fato, cada etapa é independente dentro de todo o processo, apesar de se complementarem. Por isso, foi falado anteriormente em priorizar a etapa na qual o seu negócio possui dificuldade de crescimento. Assim, otimize uma etapa por vez. Desta forma, seu negócio se manterá sólido e consistente. Sem defasagens na qualidade oferecida por cada etapa.

Além disso, você também deve considerar que as etapas não possuem essa rigidez e delimitação de área. Ou seja, em muitos casos, a retenção anda junta com a receita. Como por exemplo a assinatura de uma área de membros paga. Enquanto os clientes mantém o uso desta área de membros, consequentemente eles mantém seu pagamento de forma recorrente.

Mitos e verdades sobre o Growth Hacking

Agora quero deixar claro o seguinte… Provavelmente você já viu ou vai ver muitos fóruns ou blogs pela internet promovendo diversos mitos sobre o Growth Hacking.

Antes de você ficar cheio de dúvidas ao ler coisas por aí, vou te mostrar rapidamente a confusão. Veja logo abaixo tudo o que é mito e o que não é que é falado sobre o Growth Hacking…

Growth Hacking é mágica?

Muitos profissionais de marketing acreditam que o Growth Hacking é mágica! Não é para menos já que o resultado provido pela técnica é acelerado e exponencial.

Porém, o Growth Hacking está longe de ser mágica. É um trabalho duro e bem difícil na realidade. Principalmente quando colocamos o fator analítico em questão. A análise comportamental do público (o que não é algo fácil) é fator chave para o sucesso.

Além disso, você deve estar bem focado e ter uma visão bem crítica, orientada à resultados.

Growth Hacking é mais uma técnica de hackear os dados das pessoas?

Apesar do termo “hacking” ou “hacker”, não significa que o growth hacker é o profissional que invade sistemas.

Pra falar a verdade, a única coisa que o growth hacker tem em comum é achar brechas no sistema. Porém em um sistema diferente, voltado para comportamentos de público e oportunidades de crescimento.

Já o hacker que invade sistemas em busca de quebra de sigilo, conhecido pelas pessoas, é chamado de Black Hat. E não tem exatamente nada haver com o Growth Hacking. Exceto pelo fato de encontrar brechas! 🙂

Preciso saber programação para saber aplicar o Growth Hacking?

Essa é uma dúvida muito comum também devido ao termo “hacking” ou “hacker”. É verdade que o Growth Hacking é orientado ao crescimento através de análise e implementação. E apesar de não estar diretamente ligado com código ou T.I. em si, é sempre bom saber programar. Apesar de não ser um pré-requisito.

Existem sim growth hackers que não sabem uma linha de código sequer. Porém, caso seja necessário codificar alguma coisa… Ou até mesmo instalar algum código para uma ferramenta de avaliação comportamental, esse profissional provavelmente possui alguém que o faça.

A ferramenta Google Analytics, por exemplo, é essencial para você avaliar e metrificar dados e comportamentos importantes no seu site. Para que você possa instalar essa ferramenta nas páginas do seu site é necessário que saiba ao menos entender código.

Growth Hacking vai tornar minha empresa bilionária?

O Growth Hacking foi implementado em várias startups que atualmente são negócios multibilionários. Muitas delas conhecidas como Facebook, Instagram, Uber, Dropbox, Airbnb, Hotmail, Groupon, Apple, PayPal, Spotify, Twitter entre muitas outros…

Porém, o tamanho do sucesso do seu negócio depende única e exclusivamente de você. O Growth Hacking é o método que visa o crescimento. Não apenas o crescimento financeiro, porque uma empresa é avaliada de diversas formas. E, por incrível que pareça, o financeiro não é o critério base para avaliar o valor de uma empresa.

De fato, existem vários negócios que não aplicaram o Growth Hacking e são muito bem sucedidos hoje. Assim como já existiram e existem por aí vários negócios com valor multimilionário que não fatura R$1 sequer.

Algo que é levado muito em consideração para avaliar o valor de uma empresa é a audiência e sua qualidade. Seu interesse na marca. E a qualidade da sua audiência está diretamente relacionada à relevância daquilo que você oferece. Por isso é muitíssimo importante entender o comportamento da sua audiência. Assim, conseguimos entender suas necessidades e entregar aquilo que ela precisa.

Para aplicar o Growth Hacking com sucesso é só utilizar uma das técnicas que as empresas de sucesso aplicaram?

A resposta é com certeza não!

O primeiro motivo é que as técnicas utilizadas por uma empresa não necessariamente servem para a sua empresa. Ou, pelo menos, não são adequadas ao cenário da sua empresa em relação ao de uma dessas empresas de sucesso.

Por exemplo, a sua audiência pode não reagir da mesma forma que a audiência de uma dessas empresas. Ou então a aplicação pode (e muito provavelmente vai) sair diferente que a aplicação da empresa. São vários os fatores.

O segundo motivo é… Você precisa avaliar a etapa do funil que é prioritária para o momento atual do seu negócio.

Depois de ter avaliado, você vai entender por qual motivo essa etapa possui dificuldade de crescimento. Entendendo o problema, você consegue pensar em uma solução para otimizar essa etapa.

Estou dizendo que você não pode testar as estratégias que outras empresas aplicaram? Não! Você tem total liberdade para fazer esses testes e inclusive deve se a situação de dificuldade for semelhante.

Apenas analise sua necessidade e busque uma solução para esta necessidade. Fazer o contrário disso vai te custar muito caro tanto em tempo como em dinheiro!

Checklist antes de iniciar o processo de Growth Hacking

Espero que você esteja gostando do artigo!

Falamos sobre muitas coisas até aqui… E você pode ver tudo isso e muito mais, de forma bem mais prática e detalhada no meu ebook gratuito! Nele eu falo sobre técnicas avançadas e em como identificar seus problemas específicos. Tudo para que você possa aplicar o Growth Hacking de forma efetiva em seu negócio.

E por que eu ofereço este ebook de forma totalmente gratuita?

Primeiro porque, apesar de ser um artigo de qualidade e bem detalhado, não teria como eu colocar todo material aqui. Por isso precisava criar uma forma de entregar a você tudo sobre o assunto. Sem que você perdesse suas horas aqui. Podendo inclusive acessar o material com frequência e sem precisar acessar a internet!

E é gratuito porque a Criativizando tem a missão de fazer com que os negócios e marcas possam crescer. Serem referência em seus mercados. Seja através de nossos serviços, que são pagos, ou seja promovendo a educação com nossos conteúdos e materiais.

Além, é claro, de ser uma técnica de Growth Hacking. 🙂

Sim! Você está vendo uma técnica de Growth Hacking na prática. E garanto que quando você fizer o download do ebook gratuito, você vai me ver como autoridade no assunto. 🙂

E para finalizar com chave de ouro, eu coloco a checklist abaixo…

Essa checklist é essencial caso você queira aplicar o Growth Hacking em seu negócio. Vamos lá?

  • Tenha claramente quem é seu público alvo específico

    Antes de estruturar e encaixar o funil do Growth Hacking em sua empresa, esta etapa é extremamente importante! Não adianta tentar atrair e converter um público com vários gostos, idades e gêneros diferentes. Por mais que seu produto ou serviço possa ser aplicado a todos, você precisa segmentar! Essa é a palavra de ouro: segmentação.

  • Entenda se você realmente possui um modelo de negócio escalável

    Porque toda empresa que alcança esse tal crescimento acelerado e exponencial é viralizável. Ou seja, gera um grande engajamento com o público. Um engajamento tão grande a ponto deste público promover a marca de graça! E o grande segredo de você manter um crescimento desse porte que seja sustentável é com preparação. Entender se o seu negócio tem a estrutura necessária para absorver um crescimento inesperado é fundamental para seu sucesso.

  • Verifique se você possui produtos ou serviços gratuitos de alta qualidade

    Mais que bom, precisa ser excelente! Todo mundo quer aquilo que tenha uma excelente qualidade e que seja barato. Então, melhor ainda se for excelente e gratuito! Assim como o ebook gratuito sobre Growth Hacking que eu disponibilizo para você. E sei que você vai baixar porque deseja entender completamente sobre o assunto. Não é verdade? E vai gostar porque todo o material descrito foi feito para que você pudesse ser ou criar growth hackers. Se não baixar, pelo menos vai considerar entrar em contato com a nossa agência rs! Por isso, considere doar-se mais para o que você faz. Quanto maior a qualidade que você entrega para a sua audiência… Quanto mais você entrega o que ela precisa, mais rápido e consistente você irá crescer em seu nicho. Sendo referência em seu mercado.

  • Verifique se você tem alguma forma de analisar o comportamento da sua audiência

    E por que eu digo isso? Porque atualmente aproximadamente 95% das pessoas que navegam na internet navegam anonimamente. Logo, se você não sabe quem são, como vai saber se fazem parte do seu público? Fisicamente falando é exatamente a mesma coisa… Uma pessoa que entra numa loja de chocolate claramente gosta ou conhece alguém que gosta de chocolates. Mas nada se sabe sobre essa pessoa. Como saberemos então o real interesse dessa pessoa? Marketing Comportamental! Analisando as ações das pessoas, seja offline ou online, você consegue entender o que elas demonstram. E assim, pode entregar a elas aquilo que elas demonstraram interesse. Coisa que foi demonstrada através de suas ações. De seu comportamento.

  • Busque saber se seu processo de feedback é bem apurado

    Feedback foi tudo o que o Burger King precisou para oferecer a incrível experiência que oferece aos seus consumidores. O mais bacana é que ele não apenas obteve feedback sobre sua operação… Ele buscou tudo de feedback que os consumidores prestavam para seus concorrentes. Porém, infelizmente, esses feedbacks não eram atendidos pelos concorrentes. Desta forma, Burger King ganhou uma enorme vantagem de mercado. Os irmãos McDonald’s fizeram exatamente a mesma coisa. Ao verificarem que os lanches demoravam 30 minutos para saírem após feito o pedido, inventaram o sistema rápido. Sistema que entregava os hambúrgueres após os pedidos em menos de 30 segundos! Por isso, é muito importante que você possua um processo de análise das dores e desejos de seus clientes.

  • Veja se você possui um processo de melhoria contínua do seu produto ou serviço

    Não adianta ter feedback se você não busca melhorar seu produto ou serviço. Quando se tem uma audiência interessada e que quer o que você oferece, você passa a ter responsabilidade. Primeiro porque você prometeu algo, entregou, e tem uma audiência que consome. Segundo porque caso o produto ou serviço não possua a qualidade esperada, você não está respeitando essa audiência. E terceiro: você não está se respeitando. Valorize seu tempo, o da sua audiência e a atenção dela entregando cada vez melhor aquilo que tem a oferecer. Quanto melhor a sua entrega, maior o seu sucesso.

  • Verifique se você tem uma análise bem apurada de validação do seu produto pago

    Como assim, Breno? Toda empresa precisa de ativos que gerem renda recorrente para sobreviver. O produto gratuito é muito legal para causar uma excelente experiência do que sua empresa oferece. Quando você já tem uma audiência que foi impactada de forma muito positiva pelos seus produtos ou serviços gratuitos… Pode ter certeza que eles vão querer cada vez mais. Por isso, sua versão paga tem de ser bem validada em termos de preço e entrega. Analisar previamente se o seu produto ou serviço que vai entregar o que sua audiência espera é essencial.

Lembre-se que no Growth Hacking não tem achismo. É teste, validação e implementação. Por isso já comece a partir dessa checklist com essa mentalidade. Uma mentalidade orientada aos fatos. O que de fato ocorreu, não o que você acha, por mais óbvio que possa parecer.

O sucesso que você quer, vai depender do esforço que você aplica. E você não precisa entrar nessa jornada sozinho(a). Você pode continuar acompanhando o blog Criativizando para se aprimorar no assunto. Ou, caso você precise de um profissional especialista, basta entrar em contato. Um de nossos growth hackers poderá realizar uma avaliação gratuita sobre seu negócio. Para saber se ele possui a estrutura descrita na checklist e o que você precisa fazer antes de começar.

Caso contrário, basta você baixar meu ebook gratuito que você saberá o passo a passo exato para seu negócio deslanchar. Estruturando de forma correta para aplicar o Growth Hacking.

Abaixo deixo alguns…

Fatos sobre o Growth Hacking dignos de compartilhar no Twitter

Clicando nos links “Tweet” abaixo, você compartilha no Twitter uma dessas respectivas frases que são fatos sobre o Growth Hacking. Quais delas você mais gosta? Você pode compartilhar mais de uma.

(Tweet) Growth Hacking é a capacidade de descobrir como gerar uma expansão exponencial e acelerada. Isso de forma sustentável e com a avaliação apurada de métricas.

(Tweet) Querendo ou não, se você quiser competir de verdade e sobreviver no mercado, você precisará aprender Growth Hacking. Afinal, isso já está acontecendo.

(Tweet) Utilizando a tecnologia ao seu favor, você poderá aplicar o Growth Hacking de forma viral, em larga escala.

(Tweet) O growth hacker é o profissional que tem como foco o crescimento baseado em métricas.

(Tweet) O Growth Hacking está explodindo nos Estados Unidos, apesar de termos pouca consciência deste conceito…

(Tweet) Quanto mais cedo você fizer isso, melhor. Pois como é uma técnica baseada em testes e métricas, você irá investir tempo nisso.

(Tweet) A recompensa que você possui de um negócio, deve ser sempre igual ou maior que o esforço que você impõe. No caso do Growth Hacking, é exponencial.

(Tweet) Growth Hacking é marketing orientado a experimentos.

(Tweet) Nos últimos anos, várias startups de diferentes segmentos tem surgido. E como essas empresas estão em período de nascimento, precisam de criatividade para crescer.

(Tweet) Tanto um engenheiro quanto um profissional do marketing podem ser growth hackers. O que vai definir se este é o tipo de atuação deles é seu foco.

(Tweet) A Criativizando possui um incrível ebook gratuito que fala exatamente tudo sobre como aplicar o Growth Hacking no seu negócio.

O Growth Hacking é realmente muito poderoso!

Gostou deste artigo? Fala a verdade, o que você achou dele? Queremos sua opinião sincera. Diga abaixo nos comentários e dá uma forcinha compartilhando com seus amigos no Facebook! Quanto mais feedbacks recebermos, melhor vai ficar esse material.

engajamento para uma fanpage de sucesso na agência de marketing digital no recreio dos bandeirantes

Engajamento: Como Fazer Uma Fanpage De Sucesso?

Não é incomum estarmos na internet, mais precisamente em redes sociais como o Facebook, e vermos anúncios do tipo “Adquira 1000 seguidores” ou “Me siga que sigo de volta!”. Se você tem seu negócio na web, fuja destes procedimentos! Entenda a necessidade de gerar engajamento para sua fanpage e não número de curtidas ou seguidores!

O que realmente importa na presença digital?

Falo de maneira aberta e direta. Uma marca que se dispõe a ter presença digital precisa entender que tais procedimentos são prejudiciais para a marca. Compra de curtidas, compra de seguidores, ações “me siga que eu te sigo” não trarão o resultado esperado de toda marca:

  1. Transformar Seguidores >>> Potenciais Clientes;
  2. Transformar Potenciais Clientes >>> Clientes
  3. Transformar Clientes >>> Fãs.

Em outras palavras, ter uma base menor com “seguidores reais” e trabalhar o engajamento desta trará mais resultados. Ao invés de ter um grande número de “fake fans” que vai poluir de vez a sua fanpage.

Entenda: ter uma página corporativa em algumas das redes sociais não é entrar em uma competição com seu concorrente. Saber quem “ostenta” o maior número de seguidores! Sua preocupação deve ir além dos frios números de curtidas, compartilhamentos e reações. Você deve mensurar o que chamamos de engajamento!

O que é esse tal de engajamento e como isso vai ajudar minha fanpage?

analisando o engajamento de uma fanpage de sucesso

Uma das definições mais aceitas do conceito de engajamento pertence a Brian Haven, da Consultoria americana Forrester Research. Ele define que:

Engajamento é um medidor do sentimento do público, considerando quatro fatores – envolvimento, interação, intimidade e influência que este público tem com uma marca ao longo de um determinado tempo.

E o que seriam esses 4 fatores grifados em sua citação?

  1. Envolvimento: O famoso engajamento que tanto falamos! Consiste em quanto o público da marca realmente se envolve com ela. É a métrica mais fácil de ser mensurada. Geralmente através da quantidade de visitas no site, tempo médio por página, curtidas, reações, etc.;
  2. Interação: Se dá quando há uma interação direta do público com a marca. Como, por exemplo, comentários, mensagens inbox, ligações, e-mails, etc.;
  3. Intimidade: É o indicador que busca a informação de o quanto de afeto tem o público com a marca. Geralmente é mensurado através de um depoimento ou comentário opinativo. Um compartilhamento elogioso ou através de pesquisas de qualidade Como ocorre na fanpage do Facebook e nos comentários do Google;
  4. Influência: É o famoso “eu indico”. Mensura o quanto o público tem capacidade de influenciar terceiros a terem alguma experiência com a marca.

Determinar o engajamento do seu público não é a tarefa mais fácil. Mas é algo fundamental para mensurar o nível de penetração que sua marca tem. Seja em seguidores, clientes, potenciais clientes, fornecedores, empregados etc.

O que importa para que a fanpage do seu negócio seja uma fanpage de sucesso é o engajamento que você gera!

Então como gerar engajamento para a minha fanpage?

Com o crescimento exponencial das redes sociais é comum que diversas marcas e empresas tenham adotados outrora esses caminhos de compras de curtidas e fãs no intuito de gerar engajamento.

Contudo, conforme ao entender a importância do engajamento, compreendemos que o mesmo não se compra, se gera. Engajamento é a consequência de afinidade do público com a marca.

Por isso, deixo 10 dicas para você melhorar o engajamento da sua fanpage:

  1. Defina com uma equipe técnica de Marketing, se possível, o tom e personalidade que utilizará na interação com seu público;
  2. Converse com o seu público de maneira pessoal, se identificando (nome e função) e não apenas utilizando o nome da empresa ou departamento dela;
  3. Não compartilhe na sua fanpage pontos de vistas pessoais. Sobretudo os políticos, religiosos, esportistas e assuntos polêmicos. Ou seja, evite debates desnecessários. Foque nos assuntos do seu nicho;
  4. Se você e/ou a empresa erraram, peça desculpas, repare o erro e assumas as responsabilidades por tal. Desta forma, seu público confiará mais em sua marca;
  5. Atualize periodicamente sua fanpage. Analisando o horário com maior alcance e interação de seus seguidores;
  6. Crie conteúdo relevante e seja divertido. Utilize a regra 80/20: 80% de conteúdo social e interessante (relacionada à sua marca ou nicho de atuação) e 20% de conteúdo promocional e institucional da empresa;
  7. Se for usar o humor como forma de interação faça com cuidado, principalmente ao utilizar os famosos memes. Se não for tão engraçado assim, seu tiro saiu pela culatra e sua fanpage pode ser vítima de trolls ou haters. Que são provocadores que só tem o intuito de armar confusão;
  8. Invista em produção audiovisual, principalmente vídeos rápidos para divulgar feitos, novidades, momentos engraçados, etc. Segundo pesquisa do site Social Bakers, vídeos tem o dobro de alcance orgânico que postagens sem eles;
  9. Interaja com outras marcas e empresas. Sua parceria institucional deve se estender ao ambiente digital. Então promova ações em conjunto tanto no offline, quanto no online;
  10. Seja sucinto. Nada de “textão”. Passe sua ideia no menor número possível de caracteres. Segundo o site de análise de dados Kissmetrics, postagens com até 80 caracteres recebem 66% mais de engajamento.

Até o próximo artigo!